O trabalho no século XXI e o novo adeus à classe trabalhadora

  • Vitor Figueiras Universidade Federal da Bahia (UFBA)
  • Sávio Cavalcante Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
Palavras-chave: Gestão do trabalho, Assalariamento, Regulação

Resumo

A ideia de que supostas novas formas de trabalho estariam substituindo o assalariamento como modo predominante de organização do trabalho tem engendrado uma espécie de novo adeus à classe trabalhadora. O objetivo central deste texto é analisar esse novo adeus, que tem sido promovido por diferentes agentes nas últimas décadas, atualmente ainda mais propalado com o uso das novas tecnologias da informação e comunicação (TICs). Contudo, as formas de organização da produção e do trabalho que têm sido apresentadas como novidades nas primeiras décadas do século XXI não diferem, em seu conteúdo, do trabalho assalariado. Empresas, instituições e academia têm reproduzido uma narrativa que chamamos de novo “adeus à classe trabalhadora” e que, deliberadamente ou não, contribui para a estratégia do capital em aumentar seu poder, tornando o trabalho mais precário e os trabalhadores menos propensos a enfrentar a exploração. Para desenvolver tais argumentos, faremos uma breve revisão da literatura e, em seguida, analisaremos alguns dos casos mais divulgados e destacados das chamadas “novas” formas de trabalho que estariam substituindo o assalariamento.

Biografia do Autor

Vitor Figueiras, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Professor visitante da Universidade Complutense de Madrid e professor adjunto da Faculdade de Economia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). E-mail: fvitor@ufba.br

Sávio Cavalcante, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Professor do Departamento de Sociologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (IFHC-Unicamp). E-mail: saviomc@unicamp.br

Publicado
2020-08-24